Locomotivas Deltic 55

Por: Ferreoclube   Dia: 23 de junho de 2017

A Classe 55 foi uma série de locomotivas diesel-elétricas encomendada pela companhia ferroviária estatal britânica British Rail como parte do processo de dieselização de suas linhas e a realização de serviços expressos na East Coast Main Line (Londres – Edimburgo). A empresa contratada para a construção das máquinas foi a English Electric, encarregada de produzir locomotivas velozes capazes de atingir a mesma velocidade dos antigos serviços a vapor comumente prestado pelas locomotivas de Nigel gresley, de cerca de 160Km/h. As vinte e duas unidades foram entregues entre 1961 e 1962,   numeradas D9000 a D9021.

 

Seguindo os testes realizados com o protótipo DP1 Deltic construído pela Dick, Kerr & Company em Preston, a English Electric realizou uma encomenda de 23 unidades (pedido este posteriormente reduzido para 22 locomotivas) com o acordo de realizar a manutenção para a cliente, e também foram produzidos motores adicionais para habilitar as locomotivas a alternar o uso dos motores durante as operações mais longas. Como era comum na época, as locomotivas foram construídas com cabine dupla, dispensando o uso de viradores, possuíam 1.650HP, pesavam 101.000Kg e eram capazes de atingir a velocidade de 160Km/h. Logo ganharam o apelido Deltic 55, devido ao motor Napier Deltic utilizado pelo fabricante para a propulsão. Foram entregues em 1962 nos depósitos de Finsbury Park (Londres), Gateshead (Newcastle) e Haymarket (Edimubrgh), iniciando as operações nos serviços Londres – Leeds e Londres – Edimburgh.

 

A introdução desses modelos foi um passo considerável na performance do parque de tração a diesel na rota Londres – Edimburgo, frente às recentemente introduzidas locomotivas Classe 40, cuja potência máxima era 1.450HP – muito pouco competitivas frente as máquinas a vapor. Conforme comentado pelo engenheiro ferroviário Oswald Stevens Nock em um dos testes: “Assim que a composição ultrapassou a velocidade de 96 quilômetros por hora, o trem acelerou com força total (…) Nunca eu havia sentido tal empuxo do assento contra as minhas costas!” Com elas, o serviço Flying Scotsman (do qual a locomotiva mais famosa é a lendária vaporosa Pacific Classe A3 The Flying Scotsman) foi reduzido de 6 horas a 5 horas e 55 minutos, posteriormente reduzido nos anos 1970 para 5h30 (incluindo a parada em Newcastle) e sem a prioridade de tráfego dada aos expressos nas linhas da LNER.

 

As locomotivas foram entregues com a pintura verde escura padrão da BR com uma faixa verde na parte superior, conferindo-lhes uma aparência de robustez e imponência, e logo receberam a pintura amarela frontal notória da Companhia, destaque branco-creme nas cabines e até nomes, em homenagem aos exércitos inglês e escocês e também seguindo o costume da London and North Eastern Railway de nomear suas máquinas recordistas de velocidade. Em 1966, as Deltic 55 receberam uma nova pintura azul escura e amarela, e foram equipadas com freios a ar, e no começo da década de 1970 foram acrescentados sistemas ETH (Electric Train Heating) para oferecer mais conforto aos passageiros junto com os novos carros climatizados adquiridos pela empresa, e foram renumeradas 55001 a 55022.

 

Em 1978, quando chegaram os mais modernos trens-unidade a diesel HST 125 (mais conhecidos como InterCity 125), as locomotivas Deltic 55 foram realocadas para serviços rápidos em rotas secundárias, como Cambridge, Cleethorpes, Harrogate, Hull, Scarborough e Aberdeen, e posteriormente serviços convencionais em York – Liverpool e Edimburgh – Carlisle (via Newcastle). Em função dos altos custos de manutenção e presença de modelos mais modernos no mercado, todas as unidades foram definitivamente retiradas de serviço entre janeiro de 1980 e dezembro de 1981, com exceção de duas delas, que somente saíram de serviço em York no dia 2 de janeiro de 1982. O último serviço comercial prestado por uma Deltic 55 foi prestado às 7h25, partindo de Newcastle para King’s Cross, em uma performance de quebrar recordes, conduzido simbolicamente por um maquinista da British Rail prestes a aposentar-se. A composição de 10 carros tracionada pela unidade 55008 “The Green Howards” percorreu o trecho York – Londres em 137 minutos, com uma velocidade média de 156Km/h e atingindo a máxima de 201Km/h enquanto descia a Stoke Bank.

 

Das 22 unidades, duas foram preservadas pelo National Railway Museum (D9000/55022 “Royal Scots Grey”; D9002/55002 “The King’s Own Yorkshire Family”), quatro pela Deltic Preservation Society (D9009/55009 “Alycidon”; D9015/55015 “Tulyar”; D9016/55016 “Gordon Highlander”; D9019/55019 “Royal Highland Fusilier”), além das unidades D9008/55008 “The Green Howards” e D9021/55021 “Argyll and Sutherland Highlander cabine”, das quais foram preservadas as cabines. Um feito sem dúvida grandioso por parte da iniciativa à preservação da memória ferroviária no Reino Unido e que deve servir de exemplo para nós, brasileiros, que praticamente permitimos que esse capítulo fundamental da nossa história escapasse (em grande parte) pelos nossos dedos.

 

Imagens:

 

Locomotiva D9000 com o trem Flying Scotsman de prefixo 1A35 chegando na estação Kings Cross, no dia 7 de setembro de 1962. Fotografia de Brian Stephenson

 

Locomotiva 55018 Ballymoss na estação Kings Cross, em Londres. Clique de 12/04/1976, por Barry Lewis

 

Locomotiva Class 55 ao lado do sucessor HST (High Speed Train) Class 43 em Doncaster, Yorkshire. Fotografia de setembro de 1979, por Graham Williams

 

Locomotiva Class 55 nº55016 da British Rail na estação de York, no dia 13 de julho de 1981. Fotografia de Ian Leech

 

Unidade 55002 em St. Neots no dia 29 de julho de 1981, por Ian Leech

 

Locomotiva 55017 The Durham Light Infantry na estação Kings Cross, no dia 9 de setembro de 1981, fotografada por Ian Leech

 

Locomotivas Class 55 baixadas em Doncaster, em 1982

 

Unidade 55019 próxima ao depósito de Crewe, em 01/07/1999, por Matthew Willmott-Sharp. Destaque para os letreiro na frente do nariz, utilizado para indicar o prefixo do trem

 

Unidade D9000 Royal Scots Grey fotografada de lado por Phil Cotterill em Birmingham, em julho de 1999

 

As seis locomotivas Class 55 preservadas em Barrow Hill em 2006, fotografadas por Kevin Hutchinson. Da esquerda para a direita: 55022 Royal Scots Grey, 55002 The Kings Own Yorkshire Light Infantry, 55019 Royal Highland Fusilier, D9016 Gordon Highlander, D9009 Alycidon e D9015 Tulyar

 

Deltic 55022 Royal Scots Grey passando pela estação de Carrbridge, em Aviemore, na Escócia. Esse passeio pelo planalto escocês foi fotografado no dia 23 de setembro de 2006, por Bob Avery

 

Trem de passageiros puxado pela unidade 55019 Royal Highland Fusilier em Lancashire, no outono de 2012, por Wayland Smith

 

Locomotiva 55022 Royal Scots Grey com um trem de passageiros em Lancashire, em setembro de 2012. Destaque para a fumaça clara típica do modelo. Fotografia de Wayland Smith

 

Locomotiva 55022 Royal Scots Grey cruzando a East Lancashire Railway no inverno de 2013, por Graham Williams

 

Locomotiva D9009 Alcydon pertencente à Deltic Preservation Society com um trem de passageiros em Paignton, no dia 04/07/2015. Fotografia de Robert Sherwood

 

Locomotiva D9009 com um trem de passageiros passando pela estação de Dent, a mais elevada estação de linha principal da Inglaterra. Clique de 3 de outubro de 2015, por Tony Woof

 

 

Fontes: Deltic Preservation Society (http://thedps.co.uk); Ferreoclube (http://www.ferreoclube.com.br); National Railway Museum (http://www.nrm.org.uk).

Posts Relacionados

Trem Sula Miranda

Postado em: 12 de outubro de 2018

Continuar Lendo

Estação Papari

Postado em: 24 de agosto de 2018

Continuar Lendo

Estação Santos – Imigrantes

Postado em: 27 de julho de 2018

Continuar Lendo

Locomotivas FA1

Postado em: 29 de junho de 2018

Continuar Lendo