Cemitérios Ferroviários

Por: Ferreoclube   Dia: 13 de dezembro de 2016

Assim como todas as máquinas criadas pelo Homem, os trens possuem uma vida útil, tornam-se obsoletos com o passar do tempo e deterioram-se com a falta de manutenção. Pelos mais variados motivos, desde o descaso de empresas e autoridades políticas, desativação de ferrovias ou simplesmente obsolência, formaram-se pelo mundo uma infinidade de cemitérios ferroviários, onde dezenas de locomotivas, vagões e trens-unidade passam seus últimos dias antes do corte, onde os componentes metálicos são reaproveitados para a fabricação de diversos itens(ex.: cutelaria); ou resgatados por entidades de preservação ferroviária para o uso turístico ou preservação estática.

 

Yanov(Ucrânia): Localizada na cidade ucraniana de Pripyat, que tornou-se mundialmente famosa pelo desastre nuclear de Chernobyl em 26/04/1986, a estação e o pátio ferroviário de Yanov foram desativados assim como toda a cidade e vilarejos adjacentes, completamente abandonados após o acidente. Na Zona de Exclusão de Chernobyl, junto com a cidade soviética que permanece congelada no tempo, a estação, trilhos e trens foram inutilizados junto com diversos veículos e equipamentos militares, por causa da radiação. Foram fechados cerca de 44Km de trilhos, que são apenas usados por funcionários locais da estação Semikhody e há algum material rodante ativo para necessidades. Comumente alguns visitantes irregulares seguem pelo trecho desativado da linha de Ovruch a Chernihiv para chegar a Pripyat.

 

Częstochowa(Polônia): Um dos principais pólos industriais da Polônia e do Leste Europeu, a cidade de Częstochowa floresceu durante a Revolução Industrial com a construção da ferrovia Varsóvia-Vienna em 1846. Com mais de seis estações ferroviárias, foi um dos principais pólos ferroviários da Europa durante o Século XIX e começo do XX, atingindo seu auge entre a unificação da Alemanha e a Primeira Guerra Mundial. Com o passar do tempo, parte de seu parque ferroviário perdeu uso e passou a servir como depósito de material obsoleto. Apesar dos diversos esforços de preservação da memória ferroviária na cidade, o pátio da cidade tornou-se conhecido pelo imenso cemitério de trens onde o material obsoleto é encostado depois dos anos de serviço nas ferrovias polonesas.

 

Triagem Paulista(Brasil): Localizado na cidade de Bauru, no interior paulista, Triagem Paulista foi no passado um dos mais importantes pátios ferroviários do Brasil, em uma região em que encontravam-se as linhas de três empresas: Noroeste do Brasil, E.F. Sorocabana(que operavam em bitola métrica) e Companhia Paulista(que operava na bitola larga). A Noroeste foi assumida pela RFFSA como SR-10 em 1956, ao passo que a Paulista e E.F. Sorocabana foram incorporadas na Fepasa no ano de 1971. Com a progressiva queda do tráfego, passou a servir de depósito de material sucateado, e nos anos 1990 assumem as concessionárias Ferroban(Malha da antiga Fepasa) e Novoeste(Malha RFFSA), que em seus poucos e turbulentos anos de operação, pouco ou nada conseguiram fazer para reverter a situação. Repassada para a Brasil Ferrovias em 2002, ALL em 2006 e Rumo ALL em 2014, Triagem Paulista tornou-se um dos mais famosos e trágicos símbolos do descaso com a história ferroviária no País, e em 2015 havia centenas de locomotivas e vagões abandonados à espera do corte ou do restauro incerto, em difíceis condições de conservação.

 

Uyuni(Bolívia): Localizado na maior planície de sal do mundo, Uyuni era um importante cruzamento de ferrovias que ligavam a Bolívia ao Chile, Argentina e Brasil. Após a desativação das linhas de trem, por volta de , grandes quantidades de material rodante foram abandonadas no local, e tornaram-se com o tempo, atração turística da região. Dentre as diversas máquinas abandonadas, algumas locomotivas da Noroeste, de fabricação Henschel&Sohn e Borsig foram encostadas no local.

 

Covington(Estados Unidos): Localizado nos arredores de Cincinnati, Covington guarda uma ampla variedade de trens que já circularam pelos EUA, principalmente carros de passageiros e locomotivas que foram aposentados com o declínio do transporte ferroviário de passageiros no país entre os anos 1950 e 1980. Em 1975, foi assumido pelo Railway Museum of Great Cincinnati, responsável pelo restauro e preservação do material abandonado.

 

Vic Berry(Reino Unido): Localizado nos arredores de Leicester, Vic Berry foi um grande ferro velho onde era encostado o material rodante obsoleto da estatal British Rail. A maioria do material abandonado é datada dos anos 1980, quando os veículos mais antigos adquiridos nos primeiros anos da BR tornaram-se obsoletos. Foi fechado em 1990 após um incêndio, supostamente criminoso, que liberou amônia para a vizinhança, contaminando o local.

 
Jundiaí(Brasil): Localizada a cerca de 60Km da capital paulista, Jundiaí foi o ponto final da São Paulo Railway, e marco zero da Companhia Paulista de Estradas de Ferro e Vias Fluviais. Foi no passado um importante pátio ferroviário, com diversas oficinas de manutenção e por onde passavam diversos trens expressos, regionais e urbanos ligando a capital ao interior do Estado. Em 1956 a SPR foi encampada pela RFFSA, e em 1971 a Companhia Paulista foi incorporada à Fepasa. Nos anos 1990, os serviços de passageiros de longa distância foi suprimido, e os transportes urbanos e de cargas assumidos pelas CPTM e MRS, respectivamente. Em 2016, havia uma ampla quantidade de material rodante sucateado deixado pelas diversas companhias que operaram o pátio ao longo do tempo, bem como outros itens encaminhados para lá, após tornarem-se obsoletos. Em 1979, foi assumido pelo Museu Ferroviário Irineu Evangelista de Souza, reformado em 1995 como Museu da Companhia Paulista, que também possui a maior biblioteca ferroviária da América Latina.

 

Imagens:

Trens soviéticos abandonados nas proximidades de Yanov, em 2015. Autor desconhecido

Trens soviéticos abandonados nas proximidades de Yanov, em 2015. Foto de André Joosse

 

Trilhos ainda ativos nos arredores de Chernobyl, sem data(2015?). Fotografia de Emily, via Panoramio

Trilhos ainda ativos nos arredores de Chernobyl, sem data(2015?). Fotografia de Emily, via Panoramio

 

Antigas locomotivas soviéticas enferrujando em Yanov, em 2014. Foto de Jamescharlik

Antigas locomotivas soviéticas enferrujando em Yanov, em 2014. Foto de Jamescharlik

 

Pátio desativado de Częstochowa, na Polônia, sem data. Foto de Mircea Tătuc

 

Poland train station Czestochowa Osobowa stacja PKP DSC01485

Estação ferroviária de Częstochowa, em 2010.

 

Carros de passageiros da Fepasa em Bauru-SP, em 2012. Foto de Thiago Guimarães

Carros de passageiros da Fepasa em Bauru-SP, em 2012. Foto de Thiago Guimarães

 

Triagem Paulista, em 2012. Foto de Thiago Guimarães

Triagem Paulista, em 2012. Foto de Thiago Guimarães

 

Locomotivas abandonadas próximo à estação de Bauru-SP, em 2012. Foto de Thiago Guimarães

Antigas locomotivas da Fepasa próximo à estação de Bauru-SP, em 2012. Foto de Thiago Guimarães

 

Estação e material rodante sendo restaurados pelo Museu Ferroviário Regional de Bauru, em 2016. Foto de Sergio Henrique

Estação e material rodante restaurados pelo Museu Ferroviário Regional de Bauru, em 2016. Foto de Sergio Henrique

 

Antiga locomotiva a vapor deteriorada em Uyuni. Sem data

Antiga locomotiva a vapor deteriorada em Uyuni. Sem data

 

Locomotivas abandonadas em Uyuni, na Bolívia. Sem data

Locomotivas abandonadas em Uyuni, na Bolívia. Sem data

 

Cemitério ferroviário de Vic Berry, nos arredores de Leicester. Foto de Michael Kaye, 1987

Cemitério ferroviário de Vic Berry, nos arredores de Leicester. Foto de Michael Kaye, 1987

 

Locomotiva nº1 da Companhia Paulista em Jundiaí-SP, em dezembro de 2013

Locomotiva nº1 da Companhia Paulista em Jundiaí-SP, em dezembro de 2013

 

Locomotiva V8 em Jundiaí, em dezembro de 2013

Locomotiva V8 em Jundiaí, em dezembro de 2013

 

 

Fontes: Ferreoclube(http://www.ferreoclube.com.br); Museu Ferroviário Paulista(https://www.facebook.com/museuferroviariopaulista/?fref=ts); Museu Ferroviário Regional de Bauru(http://hotsite.bauru.sp.gov.br/museuferroviario/Sobre.aspx); 30 Years Later(http://www.30-years-later.com/yanov-train-station/); Deserted places(http://www.desertedplaces.org/); PKP- Polskie Koleje Państwowe(http://pkpsa.pl/en/).

Posts Relacionados

Locomotivas RS3

Postado em: 15 de junho de 2018

Continuar Lendo

Locomotivas RS1

Postado em: 1 de junho de 2018

Continuar Lendo

E.F. Central do Brasil

Postado em: 4 de maio de 2018

Continuar Lendo

Assalto ao Trem Pagador

Postado em: 20 de abril de 2018

Continuar Lendo