Usiminas

Por: Ferreoclube   Dia: 24 de julho de 2016

A Usiminas- Usinas Siderúrgicas de Minas Gerais S.A. é uma companhia siderúrgia mineira fundada em 25 de abril de 1956 com sua primeira usina na cidade de Coronel Fabriciano e sede administrativa em Belo Horizonte na região do futuro Vale do Aço, em Minas Gerais. A indústria foi criada com o objetivo de atender às crescentes demandas do parque industrial brasileiro com o Plano de Metas do governo JK, em meio a um intenso cenário de otimismo e euforia no País, e ao contrário da CSN que havia sido criada unicamente para atender a demandas nacionais, a Usiminas já nascia com a ambiciosa visão de ser uma siderúrgica referência no mercado nacional e internacional. Sua produção foi iniciada no dia 26 de outubro de 1962, inaugurada pelo então presidente João Goulart, que acendeu com uma tocha trazida de Ouro Preto(simbolizando os inconfidentes da Conjuração Mineira) o primeiro alto forno da siderúrgica.

 

Criada como uma estatal em 1962 com grandes aportes de capital e tecnologia japoneses, tornou-se em 1968 uma joint venture com a participação de capital estatal e privado, representando não somente a concretização do ideal brasileiro, como também a consolidação da presença do capital japonês no Brasil. Líder na produção e comercialização de aços planos laminados a frio e a quente, placas e revestidos, a Usiminas conta com um amplo sistema de empresas subsidiárias que atua no mercado de capitais e setor de transformação no qual o aço tem importância crucial. Atualmente privada, a Usiminas possui 51.000 empregados e gera mais de 250.000 empregos indiretos, e consiste em um imenso complexo siderúrgico de forte presença no mercado internacional e conhecido pela transparência no mercado financeiro.

 

Durante os anos iniciais, a Usiminas ficou conhecida pelas péssimas condições do ambiente de trabalho, devido à falta de infraestrutura e conhecimento de experiência no ramo siderúrgico(tanto para os trabalhadores de chão de fábrica como para os do setor administrativo), que ainda era pequeno no Brasil. Os acidentes de trabalho eram frequentes, as moradias eram precárias e superlotadas, e o comércio de muambas e bebidas alcóolicas corria solto nas áreas de trabalho. As brigas e greves eram constantes, tão como a repressão às mesmas, das quais a mais conhecida foi o Massacre de Ipatinga(07/10-1963) no qual a polícia fez uso de metralhadoras nesse sombrio dia de caos. Até hoje pouco se sabe sobre os inúmeros desaparecidos desse episódio, tanto pela morte como pela fuga. Somente na segunda metade da década de 1960 que a situação viria a melhorar na empresa, com a qualificação dos funcionários, melhorias nas habitações e segurança no trabalho.

 

Nos anos 1970 a empresa desempenhou um papel estratégico durante o chamado Milagre Econômico do Regime Militar, e seu vultoso crescimento de capacidade de produção impulsionou o crescimento de todo o parque industrial brasileiro e passou a exportar aço para diversas outras indústrias no exterior. Com vultosos investimentos do Governo Federal e a formação de brilhantes equipes de empreendedores, a Usiminas foi, ao lado da Vale e da Petrobras, um dos principais pilares para o crescimento do Brasil. Porém, não somente durante a década de 1970, a siderúrgica também desempenhou papel fundamental para a economia brasileira durante a “década perdida” de 1980 com a adoção de métodos de gestão mais flexíveis em relação ao processo produtivo e mais rigosos quanto ao uso dos recursos financeiros e humanos.

 

A Usiminas foi a primeira estatal privatizada durante o governo de Fernando Collor, em 24 de agosto de 1991, com a retirada total da participação governamental na empresa. Em meio a uma série de protestos e demissões durante e após o processo, a privatização trouxe à companhia grandes aumentos de produtividade e produtividade, e em apenas três anos já era classificada como a melhor empresa do País(de acordo com a revista Exame, 1994). Ainda na década de 1990, foi traçado um plano de investimentos com a quantia de US$2,1 bilhões, o maior já realizado por uma siderúrgica no Brasil, e a Usiminas passou a atuar cada vez mais em diversos setores da economia onde o aço está presente, como sua participação na companhia ferroviária MRS Logística S.A.

 

Sua atual composição societária é formada pela Nippon Steel Corporation(29,45%), Techint(27,66%) e Previdência Usiminas(6,75%) que possuem 63,86% do capital votante da empresa, enquanto os demais 36,14% são dsitribuídos para outros acionistas. A siderúrgica possui 49,84% de capital em ações ON e 50,46% em ações PN. Sua cotação na BM&F Bovespa é USIM3, USIM5, USIM6 e XUSI, XUSIO na Latibex.

 

A Usiminas destaca-se por possuir participações em diversas empresas de setores estratégicos relacionados à siderurgia, como as empresas de transporte MRS Logística, Rios Unidos e os portos de Praia Mole-ES e Cubatão-SP; distribuição e serviços Fasal, Rio Negro, Dufer, Usial, Usiroll e Unigal; mineradoras Jmendes, Somisa, Global e Pau de Vinho; e as empresas Usiminas Mecânica e Usiparts, responsáveis por soluções de engenharia e autopeças, respectivamente. Em maio de 2005 foi realizada uma das mais notáveis incorporações do setor siderúrgico brasileiro: A compra da Cosipa pela Usiminas, da qual passou a ser subsidiária integral. Após a incorporação, a Usiminas ampliou sua produção para 9,5 milhões de toneladas de aço anuais e reforçou sua presença no Estado de São Paulo.Em novembro de 2011, a Usiminas anunciou sua participação(16%), em conjunto com a Techint(27%), na holding Ternium, composta pelas siderúrgicas Siderar, Sidor e Hylsamex, com capacidade total de 12 milhões de toneladas/ano e receitas de US$5 bilhões.
Atualmente com a péssima situação econômica do País, a Usiminas recorreu à capitalização de seus sócios, que injetaram R$1 bilhão na empresa no dia 18 de abril de 2016. Com uma cultura organizacional sólida focada na transparência, sustentabilidade e boas relações com acionistas e a sociedade, a Usiminas tem como missão a excelência operacional e visão de longo prazo como a melhor forma de beneficiar a todos os setores nos quais o aço forjado em suas usinas está presente, tanto no Brasil como no exterior.

 

Imagens:

SedeUsiminas_Foto03[1]

Sede da Usiminas em Belo Horizonte-MG

I000851[1]

Instalações industriais do complexo industrial de Itapira-MG

vagao-torpedo-04-Usiminas[1]

Vagão torpedo utilizado para movimentar metal fundido dentro das usinas

locomotiva-GE-100-toneladas-29-Cosipa-Usiminas-2012-b[1]

Locomotiva GE 100T em Cubatão, utilizada para movimentação interna de insumos da siderúrgica

2012[1]

Interior da usina de Ipatinga-MG

169[1]

Carregamento de bobinas de aço da Usiminas em um trem da EFVM

size_960_16_9_usiminas[1]

Funcionário trabalhando com as bobinas na usina de Ipatinga

39116823[1]

Vista aérea do complexo industrial de Ipatinga, ao lado do pátio ferroviário(canto superior da imagem)

ch010b2[1]

Complexo Industrial da Usiminas em Cubatão-SP

ch010b4[1]

Fundição da Usiminas em Cubatão

Instalações da Usiminas pelo Brasil

Instalações da Usiminas pelo Brasil

 

 

Fontes: Ferreoclube(http://Http://www.ferreoclube.com.br); Usiminas(http://Http://www.usiminas.com.br).

Posts Relacionados

Trem Sula Miranda

Postado em: 12 de outubro de 2018

Continuar Lendo

Estação Papari

Postado em: 24 de agosto de 2018

Continuar Lendo

Estação Santos – Imigrantes

Postado em: 27 de julho de 2018

Continuar Lendo

Automação em Ferreomodelismo

Postado em: 13 de julho de 2018

Continuar Lendo