Estrada de Ferro Araraquara

Por: Ferreoclube   Dia: 3 de julho de 2016

A EFA- Estrada de Ferro Araraquara foi uma companhia ferroviária paulista criada em 1895, quando um grupo de fazendeiros do Oeste Paulista obteve, com o consentimento da Companhia Paulista a concessão para a construção de uma ferrovia ligando a cidade de Araraquara à fronteira com o Mato Grosso com o intuito de explorar o potencial do agronegócio no Oeste Paulista. As obras foram iniciadas em 1896, e em 1899 já chegavam a Capela(atual Matão). Em sua máxima extensão a ferrovia contava com 421Km em sua linha tronco, tendo a última extensão sido inaugurada em meados de 1952.

 

A companhia tornou-se conhecida pela fraude contábil que deixou seus acionistas às escuras, com atrasos de dividendos e ocultação dos resultados financeiros da empresa, que estava escondendo os resultados do Ramal de Tabatinga e a extensão para Rio Preto, que não estavam dando os retornos esperados. A descoberta das práticas fraudulentas levou a EFA à falência em 1914; os credores, no entanto, ainda conseguiram com que as obras do Ramal de Tabatinga fossem concluídas em 1915, enquanto a massa falida foi adquirida em 1916 pela São Paulo Northern Railroad Company- cuja administração desastrosa resultou na desapropriação da ferrovia e sua encampação pelo Governo do Estado de São Paulo em 1919.

 

Recebendo vultosos investimentos estaduais entre os anos 1930 e 1950, a EFA tornou-se conhecida por ser um raro caso de integração promovido pelas empresas no período antes da RFFSA/Fepasa. A ferrovia, então de bitola métrica, reformou toda sua Via Permanente para a bitola larga, para facilitar o transporte de mercadorias e passageiros entre as duas empresas, que antes precisavam realizar custosas baldeações em Araraquara, devido à incompatibilidade operacional. A Companhia terminou por ser incorporada à Companhia Paulista em 1967, e posteriormente passaria a fazer parte da Fepasa em 1971. Em 1998 suas linhas foram repassadas à Ferroban, que manteve o transporte de cargas e provisoriamente o de passageiros até 2001; e em 2006 passou à ALL Malha Norte. Em 2014, passou à administração da Rumo Logística, que promoveu o restauro de boa parte de trecho, que encontrava-se em péssimo estado devido à má manutenção decorrente da falta de recursos da Ferroban e sua sucessora ALL.

 

Imagens:

 

db8e1724341f097[1]

Estação de Catanduva-SP

armazem2[1]

Armazém ferroviário de Araraquara-SP; marco zero da ferrovia

locomotiva-GP18-Fepasa-7016-pintura-Araraquara-Boa-Vista-1974-Novembro[1]

Locomotiva GP9 da EFA(à frente) ao lado de outra de mesmo modelo com a pintura Fepasa Fase I(ao fundo)

15714-MLB20107481327_062014-O[1]

Modelo HO de fabricação Frateschi de um carro de passageiros da E.F. Araraquara

unnamed (2)[1]

Trem de passageiros da EFA em Araraquara-SP

f1dee1dcd1a2232[1]

Último trem de bitola métrica da EFA em Catanduva-SP no ano de 1955, pouco antes da troca de bitola da ferrovia de 1,00m para 1,60m

Estação ferroviária de Mirassol, em 1933

Estação ferroviária de Mirassol, em 1933

 

 

Fontes: Ferreoclube(http://Http://www.ferreoclube.com.br); Estações Ferroviárias(http://Http://www.estacoresferroviarias.com.br); Livro As Ferrovias do Brasil nos Cartões Postais e Álbuns de lembranças- Gerodetti, João Emílio.

Posts Relacionados

Trem Sula Miranda

Postado em: 12 de outubro de 2018

Continuar Lendo

Estação Papari

Postado em: 24 de agosto de 2018

Continuar Lendo

Estação Santos – Imigrantes

Postado em: 27 de julho de 2018

Continuar Lendo

Automação em Ferreomodelismo

Postado em: 13 de julho de 2018

Continuar Lendo