Free-mo— muito mais que um padrão

Por: Ferreoclube   Dia: 22 de junho de 2016

O Free-mo(Free Modular) é uma modalidade do Ferreomodelismo baseada no conceito de construção de maquetes modulares, com o objetivo de representar mais fielmente a realidade da operação das ferrovias do que como tradicionalmente se pratica o Hobby com maquetes com uma ou mais linhas circulares. Consiste também em um modelo alternativo ao Ferreomodelismo tradicional do ponto de vista participativo, visto que permite maiores interações entre os praticantes, que possuem mais liberdade para montar seus próprios layouts em encontros a partir de seus módulos. É também uma alternativa interessante para aqueles que não possuem recursos para montar a sua própria maquete.

 

O conceito surgiu na Europa nos anos 1980 como uma forma de contornar o problema da falta de espaço para os ferreomodelistas europeus, dados os altos custos do espaço(imóveis) no continente, principalmente na Europa Ocidental. A ideia viria a popularizar-se nos Estados Unidos nos anos 2000, com o advento de novas tecnologias como os controles DCC, que permitem o controle de diversas composições em uma mesma maquete, e de forma mais simples e automatizada que os sistemas DC e desenvolvimento de peças, sistemas e normas para garantir a padronização e promover a integração entre os diversos participantes e organizações do setor. A facilidade dos ferreomodelistas norte-americanos em lidar com inovações também contribuiu para a rápida divulgação do Free-mo na América do Norte, com a formação de diversas organizações no continente.

 

De acordo com a Free-mo.br:


“A construção modular permite maior liberdade na construção de layouts, bem como possibilita a muitos modelistas com problemas de espaço uma oportunidade mais ampla para praticar o hobby e participar de uma organização de Ferreomodelismo. A escolha das configurações dos módulos cabe aos modelistas, o que resulta em layouts mais criativos do que os tradicionais construídos como uma única obra. O Free-mo permite a criatividade do ferromodelista brilhar através de seus módulos, visto que não limita-se a módulos de comprimento fixo de 4, 6 ou 8 metros. Os modelistas podem construir um ou mais módulos de acordo com as suas próprias necessidades e sonhos.”

 

O free-mo difere do ferreomodelismo modular tradicional pelo conceito de ferrovia ponto-a-ponto, que consiste na criação de traçados cujos traçados não consistam em ferrovias de “circuito fechado”. Assim como nas ferrovias reais, as maquetes free-mo sempre possuem terminais com pátios de manobras e pêras para reversão dos trens. Essa mudança em relação às maquetes de circuito fechado amplia muito o dinamismo e realismo nas operações trazendo uma reprodução do funcionamento das ferrovias reais.

 

A riqueza estética e operacional dos layouts construídos em Free-mo consiste no grande leque de combinações possíveis dos módulos, variedade e também pelo fato de uma organização formada por vários modelistas possuir uma amplitude muito maior de ideias do que um único modelista com sua maquete. O aumento de realismo e detalhamento também aumenta consideravelmente devido à redução dos custos de se construir apenas um módulo em relação a uma maquete inteira. A participação entre os ferreomodelistas no Free-mo também tende a aumentar, visto que o hobby passa a ser praticado com foco nas organizações, e não na maquete de cada indivíduo.

O ferreomodelismo modular foi introduzida no Brasil em 2005 pelo Ferreoclube do ABC, com sua maquete modular NMRA feita a partir de 22 módulos construídos por cada um de seus membros. Contudo, a modalidade free-mo somente seria trazida e popularizada com a criação da Free-mo.br em 2013, a organização responsável pela tradução do regulamento Free-mo norte-americanas e estabelecimento das normas para a prática do Ferreomodelismo Modular no Brasil.

 

O Ferreomodelismo Modular representa uma potencial inovação disruptiva para o hobby no Brasil, dada a enorme demanda reprimida no País causada pela falta de espaço para muitos ensutiastas e a oportunidade de formar e participar de organizações com conhecidos e amigos. Também constitui grande mudança no modo de se participar do ferreomodelismo, e que pode promover mudanças significativas em diversas organizações. No entanto, o acesso ainda limitado à informação e altos custos de materiais representam empecilhos para a entrada de muitos nessa modalidade única do ferremodelismo.

 

Imagens:

Riquíssimo módulo Free-mo.

Riquíssimo módulo Free-mo.

 

Módulo de pêra utilizado para reverter os trens (em construção) em uma extremidade de layout.

Módulo de pêra utilizado para reverter os trens (em construção) em uma extremidade de layout.

 

Composição MRS na maquete da Free-mo.br.

 

As maquetes free-mo são características pelo comprimento e traçados com amplas possibilidades de manobras.

As maquetes free-mo são características pelo comprimento e traçados com amplas possibilidades de manobras.

 

Maquete da Free-mo.br em São Roque

Maquete da Free-mo.br em São Roque

 

Layout de maquete free-mo

Layout de maquete free-mo

 

 

Fontes: Ferreoclube(Http://www.ferreoclube.com.br); Free-mo(Http://www.free-mo.org); Free-mo.br(Http://www.freemobr.org); Modular Model Railroads(Http://www.modular-model-railroads.com/); NMRA(Http://www.nmra.org/).

Posts Relacionados

Estação Santos – Imigrantes

Postado em: 27 de julho de 2018

Continuar Lendo

Automação em Ferreomodelismo

Postado em: 13 de julho de 2018

Continuar Lendo

Locomotivas FA1

Postado em: 29 de junho de 2018

Continuar Lendo

Locomotivas RS3

Postado em: 15 de junho de 2018

Continuar Lendo