Cremalheira da MRS

Por: Ferreoclube   Dia: 16 de junho de 2016
Locomotivas Stadler na Serra do Mar. Foto de Lucas Rio

Locomotivas Stadler no viaduto da Grota Funda, na Serra do Mar. Créditos na imagem

A He 4/4 é uma locomotiva elétrica de cremalheira construída pela Stadler Rail para a MRS Logística. As máquinas são feitas sob medida para a cremalheira da MRS, pela qual a empresa realiza o transporte de mercadorias pela Serra do Mar, no Estado de São Paulo. Possuem 121.000Kg, 6.710HP e atingem a velocidade máxima de 30Km/h, e são movidas a energia elétrica, características esperadas de uma locomotiva de cremalheira.

 

Para transpor a Serra do Mar — uma escarpa de oitocentos metros de altitude que separa o Porto de Santos da Capital — a SPR, primeira companhia ferroviária paulista, utilizou um sistema funicular para que os trens pudessem trafegar no trecho de 11% de inclinação. Em 1974 a RFFSA desativou o já obsoleto funicular e substituiu-o pela mais moderna tecnologia da cremalheira-aderência, e inaugurou um novo trecho na Serra do Mar. Em 1998 a concessão foi passada para a MRS Logística S.A. que a opera desde então.

 

Com o aumento do volume de cargas de 5,6 milhões de toneladas/ano em 1996 para 13,6 milhões ton/ano em 2011, a demanda no trecho da Serra do Mar cresceu consideravelmente, e passou a demandar mais das locomotivas Hitachi, que já não davam conta do serviço com mais 30 anos de operações. O sistema de partilha também começou a dar sinais de saturação, e passou a ser um modelo cada vez mais restritivo tanto para o transporte de cargas como de passageiros.

 

Em parceria com a CPTM, que modernizou consideravelmente a malha metropolitana da antiga CBTU-SP, a MRS ampliou e otimizou de forma respeitável a capacidade de transporte de cargas na Região Metropolitana de São Paulo, tanto pela aquisição de vagões de maior capacidade, como pela construção de segregações de via, com destaque para a Segregação Leste, correspondente ao trecho Manoel Feio-Suzano. Com as novas segregações, os horários de circulação dos trens de carga, bem como o tamanho das composições, podem ser ampliados sem afetar a circulação no serviço urbano. A ampliação da estrutura ferroviária da Grande São Paulo com a reforma de estações e construção de segregações para o transporte de cargas é essencial para garantir maior eficiência e pontualidade para as operações, tanto para a MRS, que precisa de trens maiores e em mais horários para atender seus clientes, como para a CPTM, que vem lidando com progressivos aumentos de demanda decorrentes da reforma de estações, trens e sinalização em suas linhas.

 

Como tanto a construção de uma nova linha para cremalheira, como a duplicação do trecho atual seriam obras muito demoradas e caras, e considerando também o fato de o parque de tração da cremalheira já estar na metade da vida útil, a empresa optou por substituir as Hitachis por locomotivas mais potentes. Em 2012 a MRS adquiriu sete locomotivas de cremalheira da Stadler Rail, e as máquinas foram entregues em 2012, entrando em operações no final do ano. As novas locomotivas são mais potentes e modernas, e permitiram o aumento da eficiência nos transportes na ferrovia.

 

A cremalheira da MRS é a única ferrovia comercial de cremalheira a realizar o transporte pesado de cargas, e também o único a utilizar locomotivas elétricas para carga no Brasil. Suas locomotivas Stadler são frequentemente vistas em manobras nos pátios de Paranapiacaba e Raiz da Serra, terminais do trecho de cremalheira. Quanto às antigas locomotivas Hitachi, a ABPF possui intenções de adquirir alguns modelos para preservação. Infelizmente, apesar de lendárias, não há exemplares dessas locomotivas no Ferreomodelismo.

 

Imagens:

Dupla de locomotivas Stadler em Paranapiacapa

Dupla de locomotivas Stadler em Paranapiacapa

 

Locomotiva Hitachi a diesel em Paranapiacaba. Foto de William Molina

Locomotiva Hitachi a diesel da MRS(ainda com a pintura da RFFSA) utilizada para a manutenção da rede aérea na cremalheira. Foto de William Molina

 

Fotografia da inauguração da cremalheira da Serra do Mar. Foto de Sérgio Corrêa

Fotografia da inauguração da cremalheira da Serra do Mar. Foto de Sérgio Corrêa

 

Locomotivas Hitachi com a pintura da MRS. Foto de Alexandre Pisciottano

Locomotivas Hitachi com a pintura da MRS. Foto de Alexandre Pisciottano

 

Locomotiva Hitachi a diesel da MRS. Via CLube Amantes da Ferrovia

Locomotiva Hitachi a diesel da MRS. Via CLube Amantes da Ferrovia

 

Equipe da MRS com a nova locomotiva Stadler He 4/4

Equipe da MRS com a nova locomotiva Stadler He 4/4

 

Trem da MRS chegando em Raiz da Serra. Destaque para o trilho dentado da cremalheira. Foto de Ricardo Carvalho

Trem da MRS chegando em Raiz da Serra. Destaque para o trilho dentado da cremalheira. Foto de Ricardo Carvalho

 

 

Fontes: Ferreoclube(Http://www.ferreoclube.com.br); MRS Logística(Http://www.mrs.com.br); Clube Amantes da Ferrovia(Http://www.amantesdaferrovia.com.br); ABPF(Http://www.abpf.org.br); Museu Ferroviário Paulista(Https://www.facebook.com/museuferroviariopaulista/?fref=ts); Revista Ferroviária(Http://www.revistaferroviaria.com.br).

Posts Relacionados

Trem Sula Miranda

Postado em: 12 de outubro de 2018

Continuar Lendo

Estação Papari

Postado em: 24 de agosto de 2018

Continuar Lendo

Estação Santos – Imigrantes

Postado em: 27 de julho de 2018

Continuar Lendo

Automação em Ferreomodelismo

Postado em: 13 de julho de 2018

Continuar Lendo