CBTU- João Pessoa

Por: Ferreoclube   Dia: 29 de maio de 2016
Mapa turístico da CBTU-JOP

Mapa turístico da CBTU-JOP

A CBTU-JOP é a superintendência da Companhia Brasileira de Trens Urbanos responsável pelo transporte ferroviário urbano na região metropolitana de João Pessoa, capital da Paraíba. A empresa possui 17 estações em uma única linha de 30 quilômetros de extensão, e transporta cerca de 15.000 passageiros por dia(2014). A baixa participação no transporte da região deve-se à inadequação geográfica da linha, somada à carência de integrações com terminais de ônibus e outros modais, e outras linhas de trem para atender às regiões mais necessitadas.

 

Em 15 no novembro de 1871, a Princesa Isabel assinou o decreto imperial nº4838 concedendo aos conselheiros Diogo Cavalcante de Albuquerque, Anísio Carneiro da Cunha e André Rebouças a permissão para construir e explorar a Estrada de Ferro Conde d’Eu, ligando a capital da província à vilas de Alagoa Grande, Ingá e Independência(atualmente Guarabira), concessão que no entanto, não foi adiante. Em 1880(a concessão) foi entregue à Companhia Estrada de Ferro Conde d’Eu, que dá início à construção de um trecho de 40Km ligando João Pessoa a Sapé, a partir daonde seguia para Nova Cruz, no Rio Grande do Norte, e Pilar, no sul da Paraíba. Em 1889 foi contruída a ligação entre Parahyba do Norte(atual João Pessoa) com o Porto de Cabedelo, por meio de um trecho de 35Km, pouco antes da Proclamação da República, após a qual as obras da ferrovia foram suspensas.

 

O governo republicano administrou a empresa por onze anos, e em 1901 a ferrovia foi arrendada para a Great Western Railway, que já atuava no Brasil desde 1873, operando linhas férreas em Pernambuco. A GWR ampliou a linha de Pilar a Timbaúba e completou o trecho norte de Guarabira a Nova Cruz, e em 1907 chegou a Campina Grande. A concessão terminou em 1957, quando a RFFSA assumiu as linhas, e desativou boa parte da malha em 1982.

 

Em 1984, com a criação da CBTU, o transporte urbano de passageiros foi reativado, e em 1996 o transporte de cargas da região ganha novo fôlego com a concessão à Companhia Ferroviária do Nordeste. Contudo, alguns anos depois, o transporte ferroviário permanece obsoleto, jamais voltando aos padrões de outrora. A CFN nunca conseguiu ampliar muito o volume de mercadorias transportadas, e a CBTU sofre com baixa receita, e diversas carências de material rodante e estações.

 

A única linha do sistema é de via singela, e possui algumas duplicações para o cruzamento dos trens, que por muito tempo, não passavam de velhas locomotivas ALCo RSD-8 com alguns carros de passageiros antigos. Somente em 2008 foi cogitada a aquisição de alguns trens da Bom Sinal para proporcionar maior conforto aos passageiros e eficiência operacional. No entanto, os trens puxados por locomotivas ainda permanecem como reserva operacional e as locomotivas para serviços.

 

 

Imagens:

Estação Jacaré, nos anos 2000.

Estação Jacaré, nos anos 2000.

 

Novos trens da Bom Sinal adquiridos pela companhia.

Novos trens da Bom Sinal adquiridos pela companhia.

 

Mapa da CBTU-JOP

Mapa da CBTU-JOP

 

Passageiros esperando o trem na estação João Pessoa.

Passageiros esperando o trem na estação João Pessoa.

 

Mobile 3 BS da CBTU-JOP(esquerda) ao lado de uma composição de carros e locomotiva. Autor desconhecido.

Mobile 3 BS da CBTU-JOP(esquerda) ao lado de uma composição de carros e locomotiva. Autor desconhecido.

 

 

Fontes: Ferreoclube(Http://www.ferreoclube.com.br); CBTU(Http://www.cbtu.gov.br); Estações Ferroviárias(Http://www.estacoesferroviarias.com.br); Centro-Oeste(Http://www.vfco.brazilia.jor.br).

Posts Relacionados

Locomotivas RS3

Postado em: 15 de junho de 2018

Continuar Lendo

Locomotivas RS1

Postado em: 1 de junho de 2018

Continuar Lendo

E.F. Central do Brasil

Postado em: 4 de maio de 2018

Continuar Lendo

Assalto ao Trem Pagador

Postado em: 20 de abril de 2018

Continuar Lendo