EFC- Estrada de Ferro Carajás

Por: Ferreoclube   Dia: 20 de abril de 2016
Mapa da E.F. Carajás

Mapa da E.F. Carajás

A EFC- Estrada de Ferro Carajás é uma ferrovia brasileira construída pela CVRD- Companhia Vale do Rio Doce como parte do projeto Grande Carajás, com a finalidade de transportar a hematita(minério de ferro) extraída das minas da Serra Carajás para o porto de Itaqui, em São Luís-MA. A linha férrea, construída em bitola larga(1,60m) tem 892Km de extensão e seu traçado é conhecido por ser predominantemente reto e curvas abertas, o que permite o tráfego a velocidades mais elevadas(em geral) que no restante da malha ferroviária brasileira. O relevo plano da região facilitou muito a construção de uma linha com essas características.

 

A ferrovia foi inaugurada pelo então presidente João Figueiredo, em 1986, e sendo de propriedade da CVRD, não entrou nas padronizações da RFFSA nem no projeto de concessões de FHC.

 

Inicialmente voltada para o transporte de minério de ferro, a E.F. Carajás diversificou suas atividades com o passar do tempo, possuindo também o maior percurso de transporte de passageiros do Brasil e outras mercadorias como grãos, derivados de petróleo e recentemente contêineres, devido às demais indústrias que posteriormente instalaram-se na região.

Trem de passageiros da EFC

Trem de passageiros da EFC

Seu serviço de passageiros possui 5 estações e 10 paradas, e percorre a todos os 892Km da linha, ligando os municípios de São Luís, Santa Inês, Açailãndia, Marabá e Parauapebas. O serviço de passageiros da EFC, ao contrário da EFVM, não é regular. As partidas ocorrem de São Luís às segundas, quintas e sábados as 8h, e de Paruapebas às terças, sextas e domingos as 6h. O tempo de viagem estimado é de 10 horas embora ocorram frequentes atrasos devido ao tráfego lotado da linha, que ainda não foi completamente duplicada. Apesar dos problemas enfrentados pelo transporte de passageiros de longa distância no Brasil, a E.F. Carajás transporta cerca de 1.500 passageiros por dia.

 

A E.F. Carajás possui integração com a Ferrovia Norte Sul em Açailândia-MA e com a CFN- Companhia Ferroviária do Nordeste em São Luís. Contudo, como a EFC e CFN utilizam bitolas diferentes e operações distintas, praticamente não há conexão entre as duas.

 

A EFC está passando por um processo de duplicação da via e ampliação dos pátios desde 2010, e sua conclusão é estimada para 2017. A ampliação permitirá o aumento do tráfego e a redução dos atrasos, essenciais para uma ferrovia em expansão e que dinamizou consideravelmente a economia local.

Os trens de minério da E.F. Carajás são dos maiores do mundo, com mais de 3Km de comprimento.

Os trens de minério da E.F. Carajás são dos maiores do mundo, com mais de 3Km de comprimento.

Apesar de ser uma empresa notória para todo o País, a EFC é pouco popular no Ferreomodelismo, principalmente pela restrição de material HO disponibilizado em suas pinturas. Trens HO e N da Carajás são difíceis de obter, visto que a Frateschi apenas fabrica algumas locomotivas e vagões plataforma e gôndolas. Os demais modelos são todos personalizados.

 

 

 

 

Locomotiva SD40-2 em escala HO da EFC(pintura antiga).

Locomotiva SD40-2 em escala HO da EFC(pintura antiga).

 

 

Fontes: Ferreoclube(Http://www.ferreoclube.com.br); Vale S.A.(Http://www.vale.com.br); RDF Ferromodelista(Http://ricardfferromodelista.blogspot.com.br), Rail Pictures(Http://www.railpictures.net).

Posts Relacionados

Trem Sula Miranda

Postado em: 12 de outubro de 2018

Continuar Lendo

Estação Papari

Postado em: 24 de agosto de 2018

Continuar Lendo

Estação Santos – Imigrantes

Postado em: 27 de julho de 2018

Continuar Lendo

Automação em Ferreomodelismo

Postado em: 13 de julho de 2018

Continuar Lendo