TUE Série 5000

Por: Ferreoclube   Dia: 13 de abril de 2016

TUE em testes em Rio Claro.

O TUE Série 5000(originalmente Série 9000) é um trem unidade elétrico construído pelo CCTU MTE/Francorail/Cobrasma/Joerlikon/Brown Boveri para a Fepasa em 1978, para o programa de modernização das linhas de subúrbio da empresa, as Linhas Oeste e Sul(atuais Linhas 8 e 9 da CPTM, respectivamente), que a época estavam sobrecarregadas, e a frota circulante de Toshibas não dava conta do recado.

 

Comprados em 1957 pela EFS, os Toshibas 4800 já não atendiam à crescente demanda da região, com a constante abertura de novas estações pelos subúrbios da Zona Oeste da Grande São Paulo e o crescente aumento do número de passageiros a trafegar por elas. A Fepasa em 1978 decidiu retificar as sinuosas linhas da finada, E.F.Sorocabana, implantar a bitola mista(1,00m+1,60m), da mesma forma como vinha fazendo em seus corredores de exportação para facilitar a integração na sua malha, e também comprar novos trens para atender à demanda regional.

Propaganda da Fepasa dos novos trens

Os novos trens tinham 6 carros(contra os 3 carros do 4800) de aço inox, 8 portas por carro(2 a mais que os 4800), eram de bitola larga e eram mais rústicos, sendo portanto, mais adequados ao transporte de subúrbio que seus companheiros de linha da Toshiba. Acoplados aos pares, os 5000 formavam composições de 12 carros, capazes de transportar rapidamente centenas de passageiros pela rede urbana da Fepasa, visto que esvaziam facilmente uma plataforma lotada. Os seu sistema de ventilação também era melhor que o dos 4800, contando com fortes ventiladores e janelas verticais e basculantes. Foram encomendadas, ao todo, 50 unidades da Série 9000 para a Fepasa.

Após a chegada das primeiras unidades, em 1980, os Toshibas foram deslocados para as extensões operacionais das linhas e para os serviços do interior. A lotação das estações de subúrbio caiu consideravelmente, e a situação só voltou a se agravar com a progressiva saída dos 5000 com o passar do tempo, até que foram substituídos pelos CAF 8000 em 2011. Os 9000 partilharam trilhos com os 4800 até 2010, quando estes foram aposentados pela CPTM, junto com a extensão da Linha 8-Diamante(Itapevi-Amador Bueno), cujas reformas só terminariam em 2014.
Também operaram junto com os UI9500(também conhecidos como Eletrocarros) entre 1980 e 1981, quando os Eletrocarros foram transferidos para a CBTU-SP.

TUE Série 5000 com a pintura CPTM Fase I.

Os 9000 entraram em operação no dia 25/01/1980, aniversário da cidade de São Paulo, e houve comemorações e diversas matérias em revistas sobre sua chegada, como na Veja, ilustrada nesse artigo. Operavam com 6 carros na Linha Sul, e 12 na Linha Oeste, chegando na época até ao Guiness Book, como o maior trem suburbano do mundo. Foram muito bem avaliados pelos usuários da Fepasa, pois eram um grande avanço para a época. Contudo, a vida desses trens ao longo de seus mais de 30 anos de operação não foi fácil.

Alguns acidentes, muitos inexplicáveis aconteceram. Um deles, em 1980, foi uma colisão entre duas composições nas proximidades da estação Barra Funda. Vários outros acidentes ocorreram nas passagens de nível ao longo do trecho, sendo as mais problemáticas delas as de Quintaúna e Engenheiro Cardoso.

 

Unidade desativada no Pátio Presidente Altino.

No final da década de 1980, a Fepasa começou uma alteração em sua frota. Os 9000 passaram a ser 5000. Na mesma época surgiu o serviço expresso de Carapicuíba, no qual os 5000 faziam a rota Luz-Carapicuíba, raros momentos em que estes iam à estação da Luz. Em diversos fóruns ferroviários, muitos achavam tratar-se de uma lenda, o que foi comprovado com a disponibilização de imagens de trens 5000 na Luz. A frota perdeu-se lentamente conforme o tempo passava. O serviço da Fepasa também declinou progressivamente de qualidade com o passar do tempo, tornando-se obsoleto e repleto de acidentes, surfistas de trem e sucateamento das estações, que careciam de reformas nas plataformas e iluminação.

Em 1994 a CPTM assume as Linhas Oeste e Sul da Fepasa, e as nomeia Linhas B e C. A primeira previdência da nova companhia foi a revitalização da frota 5000, cujas unidades restantes receberam revisão geral e ganharam as pinturas Fase I e II da CPTM. Contudo, algumas unidades continuaram rodando sem revisão geral, devido à falta de peças. Como o trem foi produzido por um consórcio largamente formado por empresas francesas, era difícil encontrar peças de reposição. A CPTM, ao realizar a prática conhecida como canibalismo, baixou várias unidades para fornecer peças às outras. Em 2011, quando foram aposentados, sobravam 26 unidades 5000, formando 13 trens de 12 carros- pouco mais da metade da frota comprada pela Fepasa.

Modelo Frateschi do Série 5000 com a pintura Fepasa.

Durante a gestão CPTM, os 5000 foram gradativamente retirados de operação da Linha C, que passou por uma larga revitalização, abertura de novas estações, passando a ser então a mais moderna da rede paulistana. Nela entravam em operação os trens das Séries 2070 e 3000, equipados com o que havia de mais moderno do mercado ferroviário mundial.

Em 2010 a CPTM anunciou a compra de 36 novos trens para a substituição dos Série 5000. A nova frota, a Série 8000, fabricada pela CAF, possui oito carros por trem e de
zenas de novas tecnologias que em 2011, substituiu completamente a frota 5000, aposentada em agosto de 2011.

No final de 2011 e início de 2012 correram boatos de que a Supervia estaria interessada na frota 5000, o que nunca aconteceu. Os trens robustos e favoritos dos amantes da Ferrovia e usuários da Linha 8 da CPTM que certamente deixarão saudades após mais de trinta anos de serviço retornaram à ativa em 2014 como Série 5400, agora com 4 carros por trem, na extensão da Linha 8 antes operada pelos 4800 no fim de carreira, reaberta após a revitalização iniciada em 2010. 

TUE Série 5000 reformado e com formação de 4 carros, como Série 5400, na estação Amador Bueno, atual terminal da Linha 8 da CPTM.

 

Ficha técnica

Fabricante: CCTU Francorail/MTE/Joerlikon/Cobrasma/Brown Boveri
Potência: 2.800kW
Comprimento: 122m
Largura: 3,30m
Tração: M-R-M-M-R-M

Peso: 264.000Kg

 

 

Fontes: Ferreoclube(Http://www.facebook.com/Ferreoclube); CPTM(Http://www.cptm.sp.gov.br); CPTM em Foco(Http://www.cptmemfoco.blogspot.com).

Posts Relacionados

Trem Sula Miranda

Postado em: 12 de outubro de 2018

Continuar Lendo

Estação Papari

Postado em: 24 de agosto de 2018

Continuar Lendo

Estação Santos – Imigrantes

Postado em: 27 de julho de 2018

Continuar Lendo

Automação em Ferreomodelismo

Postado em: 13 de julho de 2018

Continuar Lendo