CPTM- Companhia Paulista de Trens Metropolitanos

Por: Ferreoclube   Dia: 29 de março de 2016
A CPTM- Companhia Paulista de Trens Metropolitanos é uma companhia ferroviária criada em 28 de maio de 1992, pela lei nº7861, a partir das ferrovias já existentes na Região Metropolitana de São Paulo. A CPTM é a sucessora das finadas Fepasa e CBTU-SP, empresas que realizavam o transporte suburbano na Grande São Paulo até o começo da década de 1990.

Estação da Luz, uma das mais movimentadas da empresa.
A CPTM é uma empresa estadual de economia mista, vinculada à Secretaria dos Transportes do Estado de São Paulo. Atualmente sua malha é composta por 92 estações distribuídas em seis linhas operacionais que atendem à maior parte da Região Metropolitana de São Paulo.
As Linhas da CPTM são as seguintes:
Linha 7-Rubi(Luz-Francisco Morato-Jundiaí)
Linha 8-Diamante(Júlio Prestes-Itapevi-Amador Bueno)
Linha 9-Esmeralda(Osasco-Grajaú)
Linha 10-Turquesa(Brás-Rio Grande da Serra)
Linha 11-Coral(Luz-Guaianazes-Estudantes)
Linha 12-Safira(Brás-Calmon Viana)
Linha 13-Jade(Brás-Aeroporto de Guarulhos)

CAF7000, um dos trens mais modernos da CPTM.
As Linhas 7 e 10 foram construídas em 1867 pela São Paulo Railway, e faziam parte da E.F. Santos a Jundiaí. Em 1956, foram repassadas à RFFSA. Em 1984 foram repassadas para a CBTU-SP, que as nomeou Linhas A e D, respectivamente. Em 1992 foram repassadas à CPTM, que em 2008 as nomeou como Linhas 7 e 10, a identificação que conhecemos hoje.
A Linha 8 foi construída em 1871 pela E.F. Sorocabana, e era apenas um trecho da sua linha tronco São Paulo-Sorocaba. Nos anos 1950 a EFS iniciou a operação de trens suburbanos no trecho Júlio Prestes-São Roque. Em 1971 esse trecho foi repassado à Fepasa, que restringiu o transporte suburbano ao trecho Júlio Prestes-Amador Bueno, e nomeou esse trecho Linha Oeste.
Em 1994 a linha foi repassada à CPTM, que a nomeou Linha B. Em 2008 a Linha B foi nomeada Linha 8-Diamante.

Estação São Miguel Paulista, na Linha 12-Safira, modernizada em 2014 pela CPTM.
A Linha 9 foi construída em 1957 pela EFS para atender à região das Zonas Oeste e Sul da cidade de São Paulo, e para encurtar a rota para seus trens expressos e cargueiros que partiam de São Paulo para a Baixada Santista e o Porto de Santos. O trecho foi nomeado Ramal Jurubatuba, e recebia trens de subúrbio que iam da Júlio Prestes até Varginha. Em 1971 foi nomeada Linha Sul pela Fepasa, que a estendeu até Osasco, permitindo operação independente da Linha Oeste. Em 1994 foi repassada à CPTM, que a nomeou Linha C, e em 2008, como Linha 9-Esmeralda.
A Linha 11 foi construída pela E.F. Central do Brasil em 1890, e fazia parte da rota São Paulo-Rio de Janeiro. A EFCB iniciou o transporte suburbano no trecho Luz-Estudantes nos anos 1940, e em 1956 a linha foi repassada para a RFFSA. Em 1984 foi repassada à CBTU, que a nomeou Linha E. Em 1192 foi repassada à CPTM, que em 2008 a nomeou Linha 11-Coral.

TUE FNV Série 4400 estacionado no Brás.
A Linha 12 foi construída em 1934 pela EFCB para encurtar e facilitar a rota para os trens que percorriam o trajeto São Paulo-Rio de Janeiro, uma vez que a linha tronco estava saturada com a movimentação de pessoas e mercadorias na Região da Zona Leste de São Paulo. A nova linha foi inaugurada como Ramal Poá, e em 1956 repassada para a RFFSA. Em 1984 foi repassada à CBTU, que a nomeou Linha F. Em 1992 foi repassada à CPTM, que em 2008 a nomeou Linha 12-Safira.

A Linha 13-Jade está em construção desde 2013, e seu futuro traçado ligará a estação do Brás ao Aeroporto Internacional de Guarulhos, passando por Eng. Goulart, Cecap e pelo centro do município de Guarulhos. Está prevista para entrar em operação em 2016/7.CCO da CPTM no Brás.
As linhas ativas da CPTM somadas, possuem 258 Km de extensão, e com a nova Linha 13, a malha da companhia chegará aos 272 quilômetros.
A Frota da CPTM é constituída por 275 TUEs e 14 locomotivas diesel-elétricas, utilizadas para serviço e trens turísticos. Os TUEs da CPTM foram fabricados em diversas épocas, por diversos fabricantes. Estão identifcados pelo fabricante e número de série, e listados a seguir
-Budd 1100
-Budd/Mafersa 1400
-Budd/Mafersa 1600
-Budd/Mafersa 1700
-Cobrasma 2000
-Alstom 2070
-CAF 2100
-Siemens 3000
-FNV 4400
-Toshiba/Kawasaki 4800
-MTE 5000
-MTE 5400
-Sorefame/Tejofran 5500
-Sorefame/Tejofran 5550
-CAF 7000
-CAF 7500
-CAF 8000
-Hyundai Rotem 8500

-Alstom 9000As histórias de cada série é descrita em artigos separados nesse blog.


A CPTM atualmente possui 92 estações ativas em suas linhas, espalhadas nos 22 munípios atendidos pela empresa, que transporta atualmente cerca de 2,5-3 milhões de passageiros por dia. As transferências para o Metrô de São Paulo são gratuitas nas estações Luz, Barra Funda, Brás, Pinheiros, Santo Amaro, Tamanduateí e Tatuapé. Itaquera é a única estação com transferência tarifada. O bilhete da CPTM custa atualmente é RS3,50; mesmo valor do Metrô de SP.

A CPTM é conhecida pela eficaz modernização da malha suburbana da Região Metropolitana de São Paulo, tendo realizado em seus mais de 20 anos de operação um bom programa de modernização dos trens antigos e sucateados e sua substituição por outros modelos mais modernos; modernização de todas as estações e construção de novas para ampliar o atendimento; aumento da eficiência no atendimento com menores intervalos de trens e atendimento em todas as estações, e significativa redução dos acidentes nas linhas férreas decorrentes da prática do surfe de trem e irregularidades nas passagens de nível.Fontes: Arquivo Ferreoclube(Http://www.ferreoclube.com.br); (Http://www.facebook.com/Ferreoclube); CPTM(Http://www.cptm.sp.gov.br); ABPF(Http://www.abpf.org.br); CPTM em Foco(Http://www.cptmemfoco.blogspot.com.br); Via Trólebus(Http://www.viatrolebus.com.br).

Posts Relacionados

Trem Sula Miranda

Postado em: 12 de outubro de 2018

Continuar Lendo

Estação Papari

Postado em: 24 de agosto de 2018

Continuar Lendo

Estação Santos – Imigrantes

Postado em: 27 de julho de 2018

Continuar Lendo

Automação em Ferreomodelismo

Postado em: 13 de julho de 2018

Continuar Lendo