Virador de locomotivas Frateschi ref.4500

Por: Ferreoclube   Dia: 26 de fevereiro de 2016
O Virador ref.4500 é um acessório para maquetes HO fabricado pela Frateschi tanto para o mercado nacional como estrangeiro.
À direita: Virador 4500 na caixa.
Destinado obviamente para pátios de manobras, o Virador 4500 enriquece, embeleza e movimenta os traçados nos quais é instalado. Ele substitui o sistema de estacionar-se as locomotivas por meio de desvios, uma vez que passa-se a manobrá-las por seu sistema de ponte giratória.
A ponte giratória do virador movimenta-se nos dois sentidos, movida por um motor elétrico, e possui 18 paradas, a cada 20º, permitindo, portanto, até 17 baias para guardar locomotivas, sendo a 18ª a de saída para o pátio. O comprimento da ponte é 220mm(o mesmo de um trilho reto Frateschi ref.4220), o que comporta locomotivas diesel-elétricas, elétricas e vapor de pequeno e médio porte. Algumas locomotivas, como a V8 e SD70 podem apresentar alguma dificuldade no virador por seu tamanho avantajado, que geralmente deixam os limpa-trilhos um pouco para fora da ponte, mas não impedem a movimentação da ponte durante a manobra. Nenhuma locomotiva capaz de entrar na ponte do virador também possui peso para sobrecarregar o motor que aciona a ponte, que conta com uma série de reduções que aumentam o seu torque durante a operação.

Mecanismo do virador, modificado pelo Cartel Caipira.
O virador de locomotivas é acionado por meio de uma chave especial, vendida com o mesmo, que deve ser ligada nas mesmas saídas dos controladores analógicos da Frateschi que os desvios. Contudo, a chave do virador não deve ser instalada com o capacitor de proteção dos AMVs, o que tornará o virador impossível de usar. Também deve ser conectado o fio amarelo para a drenagem do excesso de energia em uma eventual sobrecarga, e os fios dos pólos positivo e negativo dos trilhos nos contatos interiores a fim de fornecer eletricidade para a ponte do virador.

Ao girar a ponte, por meio da chave de controle adequada, ela pára por cerca de 30 segundos em cada posição, permitindo o alinhamento com os trilhos de saída em cada uma para a eventual entrada/saída das locomotivas, mesmo que não haja trilhos naquela posição. Apesar de encher um pouco o saco a ponte do virador alinhas e parar em oito posições quando o usuário vai inverter uma locomotiva de sentido, é um mecanismo muito seguro e preciso, além de não haver, no Ferreomodelismo(pelo menos até agora) outro melhor.

Virador instalado na Maquete da Garagem.
A estrutura do virador é um disco de 235mm de diâmetro(que para ser fixada na maquete exige um buraco desse diâmetro no tablado de madeira) e 70mm de altura, sendo necessário esse espaço embaixo do tablado para acomodar o motor e engrenagens que movimentam a ponte.
Uma das vantagens do uso do virador é a economia de espaço, principalmente para quem deseja um pátio com capacidade para várias máquinas, uma vez que o uso desse permite uma melhor disposição dos ramais destinados ao armazenamento de locomotivas. As disposições que ele permite também são muito interessantes e realistas, do ponto de vista estético e operacional, sendo muito semelhantes, portanto, às estruturais ferroviárias reais. Pode-se dispor as baias em formação radial, ou linear(que é a ilustrada nesse artigo).

Disposição linear de trilhos no virador de locomotivas.
No entanto, o virador de locomotivas também possui suas desvantagens. A principal é a grande área ocupada pela formação radial das baias no pátio, o que a torna inviável em maquetes pequenas e médias. A disposição linear, por sua vez, é muito limitada quanto ao número de baias disponíveis. Geralmente esta formação é boa para até 3 baias. Para um número maior que isso faz-se necessário o uso de trilhos curvos de raios mais fechados, o que compromete o realismo e propicia descarrilamentos das locomotivas ao entrar/sair das baias. Em alguns casos, pode-se realizar a guarda de locomotivas em algum ramal de espera no pátio, que consiste em um grande ramal vivo no qual as locomotivas não utilizadas ficam estacionadas, à espera de serviço. Esse tipo de ramal é muito bom de se utilizar no sistema DCC(digital).
O uso do virador de locomotivas Ref.4500 é viável nos projetos Júnior A+B(1º exemplo); A+B+B; A+B+C; A+B+B+C; S-2; S-3; S-4; S-5; S-6; M-2; M-3 e M-4 propostos no livro Ferrovias para Você Construir- Volume II da Frateschi, sendo recomendada a formação linear para as baias, uma vez que os projetos da Frateschi são um pouco limitados quando ao espaço destinado aos trilhos. Em muitos deles, o uso da disposição radial exige modificações muito grandes nos tablados, da ordem de metros, e não alguns decímetros(1dm=10cm), como geralmente se faz para colocar raios de curva maiores que os propostos no livro.Fontes: Ferreoclube(Http://www.ferreoclube.com.br); Cartel Caipira(Http://wwww.cartelcaipira.ning.com); Frateschi(Http://www.frateschi.com.br).

Posts Relacionados

E.F. Central do Brasil

Postado em: 4 de maio de 2018

Continuar Lendo

Locomotivas Lobas

Postado em: 6 de abril de 2018

Continuar Lendo

Locomotivas RSD12

Postado em: 10 de fevereiro de 2018

Continuar Lendo

Traçado Master 2 – Frateschi (Antigo)

Postado em: 22 de setembro de 2017

Continuar Lendo