Estrada de Ferro Central do Brazil

Por: Ferreoclube   Dia: 31 de outubro de 2015
A EFDPII- Estrada de Ferro D. Pedro II foi uma das principais companhias ferroviárias brasileiras, que interligava as então províncias do Rio de Janeiro, São Paulo e Minas Gerais.
À direita: Mapa da EFCB.
A EFDPII foi fundada em 1855 com o objetivo de atender à cidade do Rio de Janeiro, então capital do Império e vizinhanças, e promover uma integração das regiões mais importantes do País. Inicialmente suas linhas atendiam basicamente aos subúrbios da capital e algumas cidades vizinhas, e posteriormente a companhia foi estendendo seus trilhos e incorporando outras ferrovias de modo a interligar as três províncias mais importantes do Brasil na época: São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais.

Estação Central do Brasil em 1875.
Sua primeira linha foi inaugurada em 1858, ligando a estação Campo(Atual Central do Brasil) no centro do Rio à Freguesia de Nossa Senhora da Conceição de Marapicu(atual Queimados), em um percurso de 48Km.
Em 1873 a EFDPII ligou as cidades de São Paulo e Rio, incorporando a Estrada de Ferro do Norte, que percorria todo o Vale do Paraíba. Essa linha férrea termina na Estação da Luz, onde integra-se com a SPR.
Em 1889, com a proclamação da república, a EFDPII passou a chamar-se EFCB- Estrada de Ferro Central do Brazil. Seus serviços, contudo, continuaram da mesma qualidade.

Após os anos 1930/40, boa parte dos lucros da EFCB passaram a ser comprometidos em função de linhas deficitárias, principalmente em função da concorrência desleal com o transporte rodoviário, que recebia pesado investimento do governo na época, situação que veio a agravar-se com a criação do Plano Nacional de Viação em 1944 pelo então presidente Getúlio Vargas.

A Central do Brasil foi estatizada em 1956, durante o governo JK, passando a fazer parte da RFFSA. No entanto, continuou a existir como RFFSA-Divisão Central, e foi definitivamente extinta em 1975.

Central do Brasil retratada por Tarsila do Amaral(1924).
Em 1995 sua malha e material rodante foram repassados à MRS, durante o processo de concessões do governo de FHC, enquanto seus trechos urbanos foram repassados à CPTM, Supervia e CBTU-BH. Desde então, veio recebendo grandes reformas e modernizações por parte dessas empresas, principalmente a MRS e CPTM, que tornaram-se símbolos de excelência em transporte ferroviário no Brasil.

Quanto ao Ferreomodelismo, há poucos modelos ferroviários disponíveis da EFCB no mercado. A Frateschi disponibiliza as locomotivas V8, FA-1(pinturas EFCB e RFFSA-Divisão Central) e U5B, e Consolidation(vapor) em escala HO, e carros de madeira da empresa. Quaisquer outros modelos somente personalizados, e são mais caros e difíceis de encontrar.Fontes: Arquivo Ferreoclube(Http://www.ferreoclube.com.br); (Http://www.facebook.com/Ferreoclube); ABPF(Http://www.abpf.org.br).

Posts Relacionados

E.F. Central do Brasil

Postado em: 4 de maio de 2018

Continuar Lendo

Assalto ao Trem Pagador

Postado em: 20 de abril de 2018

Continuar Lendo

Linha Circular da EFCB

Postado em: 23 de março de 2018

Continuar Lendo

Train à Grande Vitesse

Postado em: 9 de março de 2018

Continuar Lendo