Locomotiva MX620

Por: Ferreoclube   Dia: 25 de setembro de 2015

As MX620 são locomotivas diesel-elétricas compradas pela RFFSA no fim da década de 1970 e início da década de 1980. Foram fabricadas pela EMAQ, CAF, Bombardier e MLW. As máquinas foram encomendadas para reforçar a frota da SR-2(Antiga RMV), que na época carecia de locomotivas adequadas ao perfil de suas linhas.
À direita: MX620 da RFFSA em Belo Horizonte, nos anos 1990.

As MX620 possuem 2.000HP, e são máquinas de médio porte, adequadas às sinuosas linhas de bitola métrica do Sul de Minas. Todas as unidades foram fabricadas em bitola métrica, não havendo, portanto, nenhuma dessas locomotivas rodando em linhas de bitola larga(nenhuma unidade foi rebolada). São máquinas lentas, mais adequadas ao transporte de cargas que de passageiros.
Esteticamente, as MX620 são locomotivas simples, sem grandes apelos estéticos. Possuem alguma similaridade com as EMD G22U/G22CU e GT26, devido ao nariz rebaixado e corpo alongado. A simplicidade dessas locomotivas permite fácil manutenção, em relação às máquinas elétricas, como GE5200 e V8, utilizadas para o transporte de passageiros. O design eclético das MX620 também combina com sua força e resistência de locomotivas de carga pesada.
Unidade #6156 com a pintura FCA Fase I. Andrelândia, MG.
Das 74 unidades fabricadas, a maioria delas ainda encontra-se operacional. No entanto, apesar da idade, todas as máquinas em operação encontram-se em boas condições, e ainda não foram apresentadas substitutas para essas valentes locomotivas. A dificuldade deve-se ao fato de as novas máquinas apresentadas pelos fabricantes de locomotivas serem grandes e articuladas, e enfrentarem problemas com gabarito e raios nas linhas em que as MX620 operam. Contudo, a retificação de diversas linhas férreas por parte da VLI poderá aliviar a dificuldade dos raios de curva e assim viabilizar a entrada de outras máquinas para gradualmente substituí-las na antiga SR-2.
Com o fim da RFFSA na década de 1990, foram repassadas à FCA, que atualmente opera as linhas de bitola métrica do Sul de Minas. As locomotivas receberam as pinturas FCA Fase I, e a pintura Expresso Ford, uma das mais belas e peculiares da companhia. Atualmente são largamente utilizadas pela FCA, mesmo após a sua fusão à VLI. Algumas unidades receberam a pintura VLI, enquanto outras ainda rodam com as pinturas FCA e até mesmo da RFFSA(Fase I).
Locomotiva #6169 com a pintura Expresso Ford.

Além de terem feito história nos trilhos desse País, as MX620 também já foram eternizadas no Ferreomodelismo. Existem belos modelos de fabricação artesanal dessa locomotiva em escala HO no mercado.
Porém, ainda são locomotivas pouco conhecidas, havendo, portanto, baixa demanda pelos modelos, e a fabricação artesanal resulta em preços bem mais altos do que a industrial. São máquinas que certamente fariam grande sucesso no Ferreomodelismo brasileiro se exploradas melhor pela Frateschi.Fontes: Arquivo Ferreoclube(Http://www.facebook/Ferreoclube.com); (Http://www.ferreoclube.com.br); Wikipédia(Http://www.wikipedia.com.br); ABPF(Http://www.abpf.org.br)

 

Posts Relacionados

Trem Sula Miranda

Postado em: 12 de outubro de 2018

Continuar Lendo

Estação Papari

Postado em: 24 de agosto de 2018

Continuar Lendo

Estação Santos – Imigrantes

Postado em: 27 de julho de 2018

Continuar Lendo

Locomotivas FA1

Postado em: 29 de junho de 2018

Continuar Lendo