TUE Série 1400

Por: Ferreoclube   Dia: 29 de novembro de 2014
O TUE Frota 401(atual Série 1400) é um trem unidade elétrico fabricado pelo consórcio Budd/Mafersa em 1976/77 para atender à encomenda da RFFSA para a STU-SP(Superintendência de Trens Urbanos de São Paulo), que carecia de trens urbanos para atender à crescente demanda na Zona Leste de São Paulo e municípios adjacentes da região.
À direita: João e Valdes fotografando o 1405-1406 partindo da estação de Jundiaí.
No início da década de 1970, a demanda por transporte regional na crescente Região Metropolitana de São Paulo crescia em ritmo acelerado, não havendo trens urbanos suficientes para antendê-la(a carência de trens sempre foi uma constante durante a gestão RFFSA, e por muito tempo também com a CBTU, sua subsidiária).
Obs: A RFFSA sempre priorizou o transporte de cargas, repassando para a CBTU, sua subsidiária, a gestão do transporte de passageiros nas regiões metropolitanas das principais capitais do País.
Os primeiros trens das 18 unidades encomendadas foram entregues no final de 1976, prestando serviços na Linha A-Marrom(até Pirituba), e Linhas D-Bege, E-Laranja e F-Violeta(atuais Linhas 7-Rubi, 10-Turquesa, 11-Coral e 12-Safira, respectivamente).
Suas composições de 8 carros eram um avanço para a época, sendo característicos pelo ruído peculiar do gerador, e máscara similar à Frota 101(original), com a porta frontal, duas janelas retangulares pequenas e cabine simples. Seu interior de bancos plásticos, janelas guilhotina 2 folhas e piso de borracha, somado ao sacolejo habitual lhe conferem uma típica aparência de trem de subúrbio antigo. O TUE é muito admirado pelos ferreofãs e saudosistas da CBTU devido à sua excepcional resistência e serviços fundamentais prestados na malha CBTU-SP durante toda sua operação, e posteriormente na CPTM, até seus dias atuais.
À esquerda: TUE 1403-1404, o último da frota a rodar na forma original.
Os trens da Frota 401 se envolveram em poucos acidentes ao longo de sua operação, sendo o mais famoso deles a colisão de Itaquera de fevereiro de 1987, o pior acidente ferroviário da história do Brasil, com mais de 150 vidas ceifadas em questão de segundos. Um 431(atual TANG, numerado 1602-1603) colidiu frontalmente em um 401 que estava trocando de via, sendo este último completamente destruído na colisão, atingido pelo meio da composição e sofrendo danos fatais na estrutura, baixado logo depois.
Outros acidentes menos conhecidos foram o incêndio de uma composição no Jaraguá devido a um protesto de usuários contra a má qualidade da operação, e outra colisão com um vagão plataforma da RFFSA em Rio Grande da Serra.
Quando repassados à CPTM, em 1992, a maior parte dos trens se encontrava em situação precária, sendo reformados pela IESA, e reenviados ao trecho com uma nova cabine, mais confortável para o operador, salão reformado, com novos piso, bancos e suportes, e na pintura CPTM Fase II.
Pouco a pouco toda a frota está desaparecendo, substituída por outros trens mais modernos comprados pela CPTM nos últimos anos. Das 4 unidades restantes, três prestam serviços na extensão da Linha 7-Rubi(Fco. Morato-Jundiaí), e uma Linha 12-Safira.
À direita: Frota 401 nos tempos da CBTU, com a pintura da empresa, na Zona Norte de São Paulo.
Algo que poucos sabem: A CPTM tem contrato vigente para a reforma de TODAS as unidades ainda circulantes, inclusive as composições aguardando reforma no pátio da Lapa, que pelo jeito não irá acontecer. No pátio da IESA também estão duas unidades da série 1600 que a CPTM não autorizou retorrnarem, após a modernização. Ou seja, a maior parte da frota Budd ainda deveria estar circulando, contudo, a CPTM autorizou a modernização, e não quis receber os trens posteriormente.
Á direita/abaixo: TUE Série 1400 na estação Brás, o último a circular na Linha 12-Safira.
Ficha técnica
Modelo/Série: 1400
Potência (Kw): 1224 kW
Bitola (m): 1,60 m
Estrutura: aço inox
Fabricante: Budd/Mafersa
Formação: 3 e 6 carros
Portas: 8 por carro (4 de cada lado)
Origem: Brasil
Adquirinte Inicial: RFFSA(Rede Ferroviária Federal S.A.)
Unidades compradas: 18
Frota Ativa: 4 Trens
Frota Inativa: 1 Trem (1407-A409-B407)
Frota Total de Trens: 5 Trens
Frota Total de Carros: 25 carros
Linhas de Operação: Linha 12 Safira(Brás – Calmon Viana) e Linha 7/extensão(Francisco Morato-Jundiaí)
Operadores:
RFFSA (1977-1984)
CBTU (1984-1994)

 

CPTM (1994-Presente) 
 
Fontes: DerickToshibaC807, CPTM em Foco, Gamaquetes, Wikipédia.
 
Grupo Ferreoclube ®
João Rodrigues
Mário Lanza
Andrey Fatore
Alexandre Valdes
Derick Roney
Lucas Molina

Posts Relacionados

Locomotivas RS3

Postado em: 15 de junho de 2018

Continuar Lendo

Locomotivas RS1

Postado em: 1 de junho de 2018

Continuar Lendo

Trens-unidade IC3

Postado em: 18 de maio de 2018

Continuar Lendo

E.F. Central do Brasil

Postado em: 4 de maio de 2018

Continuar Lendo